Matéria médica homeopática

Matéria médica homeopática

Neste artigo iremos explicar o que é a Matéria médica homeopática e para que servem. Confira!

Depois de experimentar quinina, Hahnemann e seus discípulos continuaram pesquisando muitas outras substâncias e descrevendo as doenças por elas provocadas e, de acordo com o princípio da semelhança, aquelas que cada uma poderia curar.

Foi assim que surgiu a Matéria médica homeopática, referência para todos os médicos homeopatas.

Na prática diária, os homeopatas utilizam essa compilação elaborada a partir de observações experimentais bem específicas. Essas experiências realizadas em indivíduos saudáveis, feitas com substâncias de origem mineral, vegetal e animal tiveram como objetivo determinar os diferentes sintomas que elas podem provocar.

A primeira experiência

Em 1790, Samuel Hahnemann realizou a primeira grande experimentação (ou patogênese) testando, ele próprio, os efeitos da quinina. Com isso, estabeleceu os princípios fundamentais da homeopatia. Nos anos seguintes, auxiliado por seus discípulos, ampliou suas experiências por meio de um número cada vez maior de substâncias, trabalho que continua e se enriquece até os dias atuais.

Os métodos atuais

A partir do século XIX, as técnicas de experimentação adquirem maior rigor científico. Seu princípio consiste em dar, seguindo um procedimento rigoroso, uma substância diluída e dinamizada à pessoa cujo estado de saúde foi previamente observado.

Todos os sintomas de cada experimentador são observados e registrados em detalhes (novas doenças e suas características, novas sensações, cura de sintomas existentes, estados mentais, sonhos, etc.). No fim do estudo, estas observações são publicadas numa compilação completa chamada Matéria médica.

Os homeopatas consultam diariamente essas compilações para procurar, entre mais de 3.000 medicamentos experimentados, o mais apropriado aos sintomas do seu paciente.

As Matérias médicas trazem descrições muito detalhadas de cada medicamento: a mais completa, de Timothy F. Allen, tem mais de 7.000 páginas, sendo que só a descrição do medicamento Sulfur chega a 140!

A partir de seu conhecimento das Matérias médicas, o homeopata utiliza, dependendo do caso, um dos diferentes níveis de semelhança recíproca existentes entre um paciente e uma substância.

Do superficial ao profundo

O médico homeopata considera a doença local (uma gastrite, por exemplo) num plano superficial, pois num grau de profundidade maior ele trata do terreno afetado (digestivo, por exemplo). 

De um modo mais profundo ainda, ele procura um medicamento de fundo para fazer o tratamento constitucional, visando a pessoa como um todo. Esse medicamento engloba as doenças localizadas, o terreno afetado, as características psicológicas e emocionais da pessoa, etc., obtendo uma ação muito mais profunda e eficaz do que aquela que resulta de um medicamento semelhante, mas superficial.

Consulte sempre seu médico homeopata de confiança e nunca se automedique.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.